segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Calamidades climáticas

      "A verdade é que as calamidades climáticas, responsáveis por grande parte da catástrofe, já tinham começado a revelar-se particularmente extremas antes da pandemia. Por volta de 1300, chegou ao fim o chamado Ótimo Climático Medieval, período de extraordinária subida de temperaturas, sobretudo no Atlântico Norte, que se iniciara no século X e permitira coisas como o cultivo de vides em Inglaterra ou a colonização da Gronelândia. Um autêntico aquecimento global, que devia ser referido pelos média quando falam das incidências do clima no mundo dos nossos dias. Também deviam mencionar a título de referência comparativa, a chamada Pequena Idade do Gelo, que principiou no século XIV e durou até meados do século XIX, altura em que se iniciaria o aquecimento que nos afeta atualmente. Assim, também pertence a esse castigado século XIV a duvidosa honra de ser cenário de tão radical alteração climática." (por Miguel Mañueco na revista Superinteressante, pág. 46)
      Aqui está uma constatação que poderá deitar por terra a tese prevalecente de que se deve à acção humana a causa primordial do alegado aquecimento global. A Revolução Industrial ocorreria em meados do século XIX  e a sintetização dos frigorigénios hidroclorofluorocarbonetos só viria a ocorrer no início do século XX. Restam portanto o metano e o dióxido de carbono resultantes de emissões naturais. Um caso a exigir informação cuidada, dados os tremendos constrangimentos económicos que as teorias vigentes estão a provocar na economia dos países tecnologicamente menos desenvolvidos, mais parecendo uma nova forma de colonialismo.
      Variáveis como a trajetória da órbita terrestre e da sua velocidade, da orientação do seu eixo e da sua rotação são influenciadas pelas conjugação dos campos gravíticos e electromagnéticos de estrelas, planetas e matéria escura. O Sol encontra-se comprovadamente no seu ciclo de onze anos de intensa actividade do qual resulta o drástico aumento da intensidade do seu campo electromagnético a ponto de poder provocar distúrbios em todos os sistemas electricos, especialmente graves em caso de enfraquecimento do campo electromagnético terrestre. E a causa é a acção humana? Presume-se, claro!, e em nome dessa presunção descapitalizam-se os países pobres!

Sem comentários:

Enviar um comentário