quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Refrigeração por absorção; breve descrição.


                                           As características particulares de algumas soluções binárias como por exemplo, água - H2O - e amoníaco - NH3 -, ou água e brometo de lítio - BrLi -, permitem construir bombas de calor accionadas por fonte térmica, usadas quer em refrigeração, quer em ar condicionado. 

Estas unidades são constituídas por um circuito de água quente e um circuito de água refrigerada. No primeiro, a água recebe o calor no permutador da fonte motriz e entrega-o ao gerador da unidade refrigeradora, no segundo, a água arrefecida no evaporador da unidade absorve o calor do espaço refrigerado através de uma bateria de arrefecimento.  

Esta unidade refrigeradora necessita de um condensador - multitubular arrefecido a água, no caso das embarcações - e pode utilizar qualquer fonte de calor nomeadamente renovável - solar, biomassa - ou rejeitado - gases de exaustão dos motores diesel, caldeiras ou ar/água de arrefecimento de ar comprimido. 

A solução mais usada nestes equipamentos de refrigeração é a de água-amoníaco e a configuração indicada acima permite instalá-lo num espaço confinado e ventilado, obviando as consequências nefastas do amoníaco no caso de eventual rotura. 

A sua utilização é especialmente indicada em regiões onde não haja energia elétrica disponível ou em unidades industriais com efluentes térmicos significativos aumentando significativamente os ganhos energéticos globais, com redução equivalente da fatura respetiva, num processo designado por co-geração. 

Tendo em conta que o amoníaco é um refrigerante natural que não tem qualquer impacto no efeito de estufa não afeta a camada de ozono e permite a recuperação de energia habitualmente rejeitada, o processo de arrefecimento por absorção é ecológico e a sua utilização ganha maior relevância na actualidade dada a importância cada vez maior do aumento da eficiência energética dos sistemas. 

Utiliza-se mais correntemente em caravanas, barcos de recreio, ar condicionado industrial e doméstico e arrefecimento industrial de água, prevendo-se a expansão do seu uso, nomeadamente a viaturas de transporte e a navios, permitindo  utilizar cerca de 80 % da energia química do respectivo combustível, em vez dos habituais 40 %. 
 
 
AB

3 comentários: