quinta-feira, 7 de março de 2013

Papa Dâmaso I

(Editado da Wikipédia):

São Dâmaso (305 - 11 de dezembro de 384) foi o 37º  papa e líder mundial da Igreja Católica, de 366 até a data de sua morte.
 
Dâmaso nasceu em território que viria a ser português, havendo quem defenda a hipótese de ter nascido mais especificamente na Gallaecia, na cidade de Guimarães ou na Lusitânia, em Idanha-a-Velha, à altura integrantes do Império Romano, atualmente Portugal. A sua época coincidiu com a ascensão de Constantino e a adopção do Cristianismo como religião oficial do Império Romano.
 
Em outubro de 366, Dâmaso I conseguiu, após vencer em lutas sangrentas o seu concorrente Ursino, ocupar o trono papal. Foram necessários dois anos de lutas sangrentas e chacinas para que Dâmaso chegasse ao papado. As batalhas entre os bandos seguidores dos dois postulantes foram de tal violência que em um único dia de batalha foram recolhidos 137 mortos. Acusado por seus adversários de assassinato, Dâmaso teve que se defender perante um tribunal imperial. Porém o imperador Valentiniano I apoiava Dâmaso e no ano de 378 foi absolvido, enquanto que o seu inimigo Ursino era desterrado.
 
Esse processo deu a Dâmaso I a oportunidade de ajustar as relações entre a justiça civil e a eclesiástica. O Estado passou a reconhecer oficialmente a competência da Igreja em matéria de fé e de moral, enquanto tomava a seu encargo a execução das sentenças ditadas pelo tribunal do episcopal.
 
Dâmaso foi um dos mais notáveis Papas do século IV, defendendo a Igreja de Roma contra eventuais cismas, enviando legados ao Primeiro Concílio de Constantinopla, e também foi um escritor de grande mérito, autor de valiosos epigramas e de importantes cartas sinodais. Também foi o Papa que encomendou a Jerónimo de Strídon uma revisão da versão latina da Bíblia, a qual ficou conhecida como Vulgata Latina, até hoje uma das mais importantes traduções bíblicas.
 
Foi o primeiro Papa a usar com desenvoltura o anel do Pescador, com o símbolo de São Pedro, que ao contrário de hoje, era passado de pontífice para pontífice, assim que confirmada a sua morte, como símbolo de sua autoridade pastoral. O anel com a égide de Pedro, o primeiro Papa, já não existe, pois foi destruído.
 
Os imperadores romanos (incluindo Constantino) continuaram a conservar o ofício de Pontífice Máximo (Pontifex Maximus) até 376 até que o Imperador Graciano, por razões cristãs, o recusou, já que reconhecia-o como idolatria e blasfêmia. Há registos de que, em torno do ano 378 Dâmaso era nomeado Pontífice ou "Pontifex", embora não fosse chamado de Pontífice Máximo, termo que aparece na Bíblia para descrever homens abençoados (Hebreus 5, 14), e em alguns casos o próprio Jesus (Hebreus 3, 1).
 
É citado no livro "Peregrino da América" como poeta português (Livro II).
 
Emblem of the Papacy SE.svg
 
Brasão de armas de Dâmaso I

Sem comentários:

Enviar um comentário