domingo, 24 de agosto de 2014

Boavista-Benfica (0-1)

   Vitória difícil mas merecida do Benfica, perante uma equipa que jogou o que se esperava; compacta e combativa, fechando os caminhos da sua baliza , em especial nas faixas laterais, zonas onde o Benfica é especialmente forte, como se verificou no jogo anterior. A supremacia foi dos vermelhos, à exceção de período entre a saída de Amorim e a entrada de Ola John, que permitiu a deslocação de Gaitan para o meio e o reequilíbrio da contenda. Talisca tem qualidades, sem dúvida, a melhor das quais residindo na qualidade do passe longo e do remate de meia-distância - Julgo que necessita de melhorar a leitura de jogo e de aumentar a massa muscular; se o conseguir poderá vir a ser um excelente centrocampista. Foi assim notório o défice de criatividade no meio-campo, sobretudo após a saída de Amorim, atenuado após a deslocação de Gaitan para o eixo, daqui resultando o fraco desempenho de Lima uma vez que não disponha de bola jogável apesar do esforço despendido. Foi pois num oportuno remate de meia-distância - acção historicamente pouco explorada por Jorge Jesus - de Eliseu, por sinal com uma exibição soberba, que o Benfica  alcançou a vitória. Depois foi arregaçar as mangas e lutar com galhardia perante uma equipa que nunca baixou os braços, chegando mesmo a provocar alguns calafrios nos adeptos encarnados. Muito bem, além de Eliseu - que nada fica a dever a Siqueira -, Artur, Luisão, Jardel, Máxi, Gaitan e André Almeida.
   Não sei se o sintético teve algo a ver com a lesão, mais uma, de Amorim, mas julgo que, este, tem que modificar a forma como se faz aos lances. É porém possível que o sintético, tenha tido influência no golo ao manter a velocidade da bola quando esta deslizou no relvado à frente do guarda-redes. 
Marco Ferreira esteve muito mal, ao perdoar uma grande penalidade ao Boavista - penalizando Jara com um injusto amarelo -, ao deixar por assinalar várias faltas em zonas críticas da mesma equipa e fazendo, injustificadamente, o contrário, relativamente aos encarnados, "amarelando" vários dos seus atletas, constituindo-se em fator de desestabilização dos vermelhos.  Felizmente que os juízes de linha estiveram atentos aos fora-de-jogo, assinalando-os, incluindo um, neste caso mal, ao Benfica. 
Felicidades para o Petit e sua equipa.  

Sem comentários:

Enviar um comentário