domingo, 10 de maio de 2015

Só mais um!

   Bateu-se muito bem a equipa de Penafiel, apresentando um futebol aguerrido e bem estruturado táticamente, ocupando todas as zonas do terreno, pressionando alto, procurando trocar bem a bola, com amplitude e precisão. À imagem de Carlos Brito, afinal. Uma equipa atrevida que logo nos momentos iniciais provocou algum frisson.
 
   Mas foi nos minutos iniciais que Lima marcou o primeiro do Benfica, num fulminante remate de cabeça a centro de Máxi que se havia esgueirado pela direita. Seguiu-se Jonas, com um golo à Jonas, desta vez a cruzamento de Sálvio. Foram os tais vinte minutos à Benfica!  E vieram, o terceiro, novamente por Lima, com uma bela revienga ao guarda-redes, e o quarto, por Pizzi, com um remate manhoso e frontal, a dar sequência ao passe de lima desde a linha de fundo. E o Benfica não marcou mais porque "a maré encheu", ou seja, a equipa "tirou o pé do acelerador", aproveitando para rodar alguns jogadores, Amorim, Talisca e Ola John e prevenindo lesões e mais amarelos.
 
   Pois, mais amarelos!, Máxi e Samaris, por imprudência, ficam de fora no próximo jogo graças às provocações não inocentes de um "artista"  penafidelense que rendeu um amarelo a cada um.
 
   Muito bem Júlio César e Jardel a negarem o golo de honra ao irritante Raviola, que deveria ter sido expulso por agressão a Luisão.
 
   Lima e Máxi foram os homens do jogo e Jonas encostou ao Jackson.
 
  Vamos ser campeões já em Guimarães!

3 comentários:

  1. O Penafiel perdeu a oportunidade de sair com honra da 1ª; o sarrafeiro do Vitor Bruno borrou a escrita mas não admira dado tratar-se de um fanático andrade corrupto e ser produto das escolas do club da fruta e putedo!

    ResponderEliminar
  2. Desconhecia!, fica assim explicada a fúria!, afinal um dos processos que os lideres do PCP não dispensam e que tem dado frutos, por exemplo, em Vila do Conde!, Ter´´a sido mesmo atingido pela moeda, ou tera sido encenação?, enfim; venha mais um!

    ResponderEliminar
  3. Cheira-me a encenação! reparem que o sarrafeiro está voltado para o terreno de jogo e repentinamente leva a mão à testa! se a moeda fosse arremessada da bancada acertava-lhe na nuca e nunca na testa! certo ou errado?

    ResponderEliminar