quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Benfica personalizado

  
Foi um Benfica serenamente concentrado, equilibrado, talentoso e destemido que venceu, esta noite, o Atlético de Madrid que viu assim terminado o ciclo d e 24 jogos sem derrotas.
   Perante a postura autoritária e confiante das estrelas do campeão espanhol, os encarnados apresentaram-se táticamente coesos, ajustando-se, quase sempre, à dinâmica do adversário, excepto no lance do golo dos "colchoneros", disputando a bola sem cerimónias no meio-campo e partindo para a ofensivo sem "pedir licença". Nem o estádio cheio, nem o golo sofrido, num lance de movimentação ofensiva complexa dos madrilenos, fizeram esmorecer os benfiquistas, que, por sinal, já tinham "ameaçado" o guarda-redes adversário. Não sem passar por alguns apuros defensivos, os encarnados foram à procura do golo, de forma controlada, o que conseguiram num esplêndido remate cruzado de pé esquerdo de Gaitan, ao segundo poste, a meter a enrolada bola "no buraco da agulha" na sequência de um cruzamento saltitante da direita - de Guedes (salvo erro). Muito bem a disputar as bolas no meio-campo mas mal na cobertura em alguns lances pelas alas, que o adversário não soube aproveitar, os benfiquistas, não se deram por satisfeitos e foram à procura da vitória, que conseguiram numa incursão de Gonçalo Guedes pela direita, que num remate cruzado pleno de "escola", bateu o Oblak, que lhe fechava o ângulo ao 1º poste. Aumentou o assédio dos madrilenos, que chegaram a encostar o Benfica às cordas, embora não por muito tempo e com pouco discernimento. Foi neste período que Júlio César fez duas estupendas defesas seguidas, dignas dos anais de bem jogar à bola. Com o tempo a correr, os colchoneros foram perdendo a convicção e qualidade, enquanto Rui Vitória refrescava a equipa, consolidando o meio-campo, col Feysa e Pizzi. E assim se chegou ao final da partida, sem que a vitória do Benfica tivesse sido seriamente ameaçada.
 
   A certa altura receei pelo árbitro, mas, felizmente não houve casos.
 
   De Martinez, não se viu grande coisa, embora fosse uma ameaça permanente.
 
   Rui Vitória fez aqui a sua prova de fogo. A equipa está no bom caminho.
 
   Parabéns a todos!
 
   PS: Infelizmente alguns adeptos, mais uma vez, fizeram asneira, comprometendo o clube!, não compreendo esta forma bárbara de festejar as vitórias! Alguém tem que pôr termo a isto!

Sem comentários:

Enviar um comentário