domingo, 15 de novembro de 2015

Sindicatos; Os Donos Disto Tudo?

   No seu estilo tabloide, descontando a sua persistente militância contra o meu clube, o Benfica, o Correio da Manhã vai-se afirmando com um dos principais bastiões de luta pela verdade e liberdade, mantendo uma vigilância cerrada aos Governos e restantes agentes políticos. Na sua edição de ontem, 14/11/2015, a propósito do "Catrua", salvo do naufrágio por três embarcações de pesca, o CM revela que a inoperância da Estação de Salva-Vidas da Figueira da Foz se deveu à recusa do respetivo chefe em atender o telemóvel de serviço, por indicação do Sindicato Nacional das Administrações Portuárias que fez questão de oficiar o Capitão do Porto da Figueira da Foz de que, o Sota Patrão iria deixar de se fazer acompanhar do telemóvel de serviço.
 
  Ficámos então a saber que quem manda  nos Portos nacionais, é o Sindicato Nacional das Administrações Portuárias e não as autoridades públicas. Que estas, não tiveram coragem de revelar publicamente o gesto do Sota Patrão e do seu Sindicato. Que estes estão determinados a pôr em risco de vida os cidadãos, que deviam defender, em nome de eternas lutas corporativas que nada mais visam que desmantelar as estruturas do Estado, propósito das entidades políticas às quais devem obediência.
 
   Num Estado de Direito também há deveres, neste caso, o dever de auxílio! Foi aprovada recentemente legislação que prevê pena de cadeia até três anos aos autores de maus tratos dos animais. Proliferam nas redes sociais juras de amor a toda a espécie de animais. No Olívia Ribau morrerem cinco homens, um dos quais implorando, em vão, auxílio durante cerca de uma hora, refugiado na parte emersa do barco! Era das redes, era dos cabos de aço, era da noite, era "do raio que os parta a todos"...afinal, foi do Sota- Patrão e do seu Sindicato que consideram  que a sua "luta" deve prevalecer sobre o direito à vida, tal como, há muito, acontece com as sucessivas greves nos hospitais! Uma inversão grotesca dos valores sociais e morais duma sociedade cada vez mais subjugada aos interesses de certos trabalhadores, força avançada de interesses políticos cuja missão consiste, precisamente, na inviabilização económica de Portugal e na instauração da "ditadura dos "trabalhadores", nova designação dos "operários" da pseudo revolução Leninista.
 
   Desconheço os meandros e as esquinas da lei, mas, enquanto cidadão, considero que quer o Sota-Patrão quer o Sindicato, quer o Capitão do Porto da FF, deviam ser acusados de
homicídio qualificado e julgados em conformidade. Claro que, num Estado sem Lei, a justiça seria feita pelos familiares das vítimas, pelos Pescadores e pelos cidadãos comuns, pelas próprias mãos!
 
   Eis como esta Democracia resvala para um totalitarismo dos seguidores de Lenine, razão que justifica a oposição popular com todas as suas forças, porque se revela em muitas outras áreas da vida pública e privada.  

Sem comentários:

Enviar um comentário