domingo, 7 de fevereiro de 2016

Um elogio a Lisboa

   Eu, que sou um cético da gestão socialista da CML e um crítico da taxa de entrada aeroportuária, da taxa turística e do condicionamento do tráfego, tenho que aplaudir a alteração projetada pelo atual executivo para a 2ª circular, com predominância da arborização. É que, é mesmo este o caminho a trilhar para a eficácia da adaptação das cidades ao designado Aquecimento Global e ao controlo das inundações. A absorção de água pelo solo proporciona o efeito de arrefecimento por evaporação quando a temperatura sobe - que em certas circunstâncias pode reduzir de 9 ºC a temperatura circundante -, traduzindo-se na redução das temperaturas máximas e da amplitude térmica. Por outro lado, reduz o risco de enxurradas pelo escoamento freático que proposciona. Mas não é tudo; as árvores constituem uma das melhores soluções para a redução da concentração de dióxido de carbono na atmosfera uma vez que são um importante sumidouro daquela substância e de fabrico de oxigénio. Finalmente, a estética urbana associada à redução de velocidade de circulação projetada será valorizada e refletir-se-á positivamente no comportamento das pessoas; pela redução do risco de acidentes e pelo efeito de bem-estar que provoca. Evidentemente que devem ter-se em conta os impactos na segurança aerea e terrestre e a necessidade de implementar medidas de compensação do escoamento eficaz do tráfego viário.
É de analtecer também, com especial ênfase, o recente programa anunciado pela autarquia de apoio aos sem-abrigo - cerca de 600 pessoas -, aumentando a disponibilidade de espaços de acolhimento, tratamento e acompanhamento. A omissão dos progamas partidários e dos Governos no combate a este flagelo constitui, quanto a mim, sem sombra de dúvida, um crime humanitário que envergonha todos.
A Câmara de Lisboa, nestes projetos, está pois de parabéns.

Sem comentários:

Enviar um comentário