domingo, 31 de março de 2013

Benfica-Rio Ave (6-1)


In Público online de 30 de Março de 2013
 
A abordagem pragmática que Jorge Jesus exigiu à equipa para a recepção ao Rio Ave, prescindindo do espectáculo e considerando suficiente um triunfo pela margem mínima, os jogadores “encarnados” responderam com uma goleada, por 6-1, e com apontamentos artísticos na Luz. A partida ficou resolvida na primeira parte, mantendo os lisboetas a vantagem de quatro pontos sobre o FC Porto na liderança.
 
Não fez mal a paragem do campeonato ao Benfica, como o comprovaram in loco os 46 mil adeptos benfiquistas nas bancadas. Frente a um adversário que tem sido uma das equipas-sensação desta temporada na Liga, os líderes isolados do campeonato não facilitaram e ainda o cronómetro marcava os 15’, já tudo parecia resolvido, com dois golos que acabaram com as ambições dos visitantes, que sofreram 16 golos nas três últimas deslocações à Luz para a principal competição nacional. 
A recuperar de um problema muscular, Cardozo começou a partida no banco, por precaução, abrindo as portas da titularidade a Rodrigo, algo que não acontecia desde o dia 17 de Fevereiro. Moralizado pelos golos que apontou à Noruega e à Rússia, ao serviço da selecção de sub-21, que o tornaram no melhor marcador da equipa, o espanhol acompanhou Lima no ataque “encarnado”.
Mais aguardado foi o regresso de Luisão, recuperado de uma lesão, ao eixo da defesa, onde voltou a fazer dupla com Garay. De resto não se registaram mais novidades em relação à equipa que goleou na última ronda o V. Guimarães, no Minho, por 4-0.
Frente a um adversário que luta pelos lugares europeus, o Benfica precisou de um quarto de hora para deixar a partida praticamente resolvida. De nada valeram as cautelas defensivas reforçadas de Nuno Espírito Santo, com cinco unidades mais recuadas (três centrais). Se inicialmente conseguiu manter controladas as unidades mais ofensivas dos lisboetas, foi impotente para travar dois carrascos menos habituais.
 
O primeiro foi de Melgarejo (11’) e o segundo de Matic (15’). Dois golos que tiveram ainda em comum as assistências de Nico Gaitán. Pelo meio destes dois lances fatais para o Rio Ave, a equipa de Vila do Conde viu a barra devolver um remate de Ukra, na cobrança de um livre perigoso, à entrada da área. Minutos iniciais frenéticos, que tiveram o condão de condicionar desde logo a estratégia dos visitantes.
 
Uma iniciativa individual de Bebé ( 26’), que não conseguiu ter força para bater Artur, depois de um longo sprint no meio-campo benfiquista foi o melhor que os nortenhos conseguiram na primeira metade. Bem mais eficazes, os lisboetas encerraram de vez a questão dos três pontos em disputa, aos 41’, quando Lima apontou o terceiro golo, desviando para as redes um cruzamento de Enzo Pérez.
 
Com encontro marcado com os ingleses do Newcastle na Luz, na próxima quinta-feira, na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa, Jorge Jesus teve espaço de manobra para aplicar um plano de gestão de esforço da equipa na segunda metade. Salvio, tocado no final do primeiro tempo, já não regressou para o reatamento, cedendo o lugar a Ola John. Uma alteração que não trouxe grandes novidades para a história do encontro. Na realidade, a partida reiniciou-se como havia sido interrompida para o intervalo: com um golo de Lima (49’).
 
Se no seu primeiro golo, o avançado se limitou a encostar, no segundo meteu uma nota artística na jogada, com um grande remate de pé esquerdo à entrada da área. E o brasileiro não ficou por aqui. Aos 76’, confirmou um hat-trick, instantes depois de Cardozo ter entrado (para o lugar de Gaitán) para lhe fazer companhia no ataque. A oito minutos do final, Enzo Pérez colocou a contagem da equipa da casa nos seis golos.
 
Antes, o Rio Ave ainda diminuiu a desvantagem com o golo de honra (51’), apontado por Hassan. Foi o derradeiro fôlego dos visitantes, antes de ficarem reduzidos a dez elementos, por expulsão de Wires, e depois a nove (Edimar). Nos descontos, Melgarejo seguiu o mesmo caminho e falhará a deslocação ao terreno do Olhanense na próxima ronda.
 
Ficam a faltar seis “etapas” ao Benfica, com uma passagem pelo Estádio do Dragão, na corrida pelo título.
 
 
 
 
 
 
Comentário Zaratustra: 
 
Preocuparam-me os amarelos e a expulsão de Melgarejo. Cardozo não entrou bem; falhou duas boas oportunidades. Gaitan, Enzo e Lima arrazaram.
 
Prego a fundo, rapazes!
 

Sem comentários:

Enviar um comentário