domingo, 4 de maio de 2014

O Golo de Pirro!

Esta poderá vir a ser uma época histórica para o Benfica, não só no futebol sénior. Nas três finais em disputa é possível a vitória desde que o Benfica respeite o adversário, controle a euforia e a equipa ponha no terreno de jogo tudo o que de bom sabe fazer, independentemente de quem seja titular. Sim, poderá ser uma época histórica; à maior qualidade técnico-tática da equipa - maior capacidade de recuperação da bola, maior capacidade de circulação da mesma, maior versatilidade ofensiva e maior capacidade de gestão do jogo e do esforço -, juntou-se uma determinação inaudita entre atletas e técnicos num clima de inquebrantável união que, não poucas vezes, tem sido decisiva na superação das muitas dificuldades com que se têm deparado, a maior das quais ocorrida na recente semifinal com a Juventus, sucedendo aos sucessivos "azares" ocorridos nos últimos jogos com o Porto. De tal sorte que parece claro ter ocorrido uma qualquer espécie de pacto entre todos para a presente época, na sequência dos frustrantes desaires da época anterior, com destaque para a derrota no Dragão graças ao golo de Kevin já nos derradeiros instantes da partida, que, literalmente, fez ajoelhar Jesus, em justificado desalento. Rejubilaram as hostes azuis perante tão inesperado desfecho, e, tal foi o júbilo, que, na réplica ao museu do Benfica erigida pela Direção do clube, consta que foi dedicado nobre e notável espaço ao golo redentor, o Espaço Kevin, na sôfrega tentativa de perpetuação do feito contra o arquirrival, afinal, a razão de ser, primeira e última, da sua acção. Mas pode ter sido esse o momento do alegado pacto de união entre Dirigentes, Técnicos e Atletas do Benfica para a presente época, como tal, permitindo atribuir ao "Espaço Kevin", a designação alternativa de "Golo de Pirro", na medida em que poderá ter despoletado o princípio do fim do ciclo de domínio portista do futebol e o desfecho cinzento do "reinado" de Pinto da Costa. Fica sempre bem reconhecê-lo, ainda que numa espécie de êxtase premonitório.
 
Boa sorte Benfica!

Sem comentários:

Enviar um comentário