terça-feira, 2 de setembro de 2014

De bárbaros a burocratas (Lawrence M. Miller) (2)

Continuação: citações avulsas:

"A centralização a nível nacional, ou no seio de uma empresa, glorifica sempre a importância do documento. E isto ofusca o sentido da realidade. À medida que os homens e as organizações se começam a preocupar com o documento tornam-se menos compreensivos, menos sensíveis à realidade dos assuntos com os quais deveriam operar. Tomar decisões a partir de documentos tem um efeito desumanizador. Muita da desumanização do homem para com o homem é devida a isto. Quase todos os grandes estudiosos da Humanidade repararam neste facto. (pág. 135) (declaração atribuída pelo autor a David E. Lilienthal)
 
Nota: Mas é isto mesmo que está a acontecer com a multiplicação dos processos de certificação em curso, que mais não são que meios de colocar os recursos de todos nas mãos de muito poucos.
 
"A descentralização permite a cada um gerir o seu próprio negócio. Isto é um dos mecanismos principais para a preservação das qualidades do Profeta e do Bárbaro, as qualidades de visão e de acção determinada." (pág. 136)
 
" O medo provocado pelos sistemas de controlo destrói a iniciativa própria e os indivíduos devem agora, cada vez mais, ser comandados e instruídos em vez de se confiar neles." (pág. 137)
 
Nota: Por cá abundam os sistemas e os capatazes.
 
"O excesso de administração dá origem a comportamentos mecânicos, não reflectidos, e à ineficiência. (pág. 137)
 
"Quanto mais um indivíduo se torna perito numa especialização, mais indispensável se torna e menos se podem contestar as suas decisões. A responsabilidade não é agora pelo todo mas pelas pequenas partes, e as partes estão cada vez menos ligadas e mais isotéricas....Eles retiraram-se do grande contexto social para aumentarem o seu conhecimento, mas não foram capazes de regressar à grande unidade social." (pág. 138)
 
"É a incapacidade em reconhecer os empregados como parceiros, amigos e aliados de confiança que dá origem à classe revoltada dentro da empresa." (pág. 139)
 
"Um dos princípios fundamentais da sua filosofia de gestão ( da Honda) é avançar sempre com a juventude. Porquê juventude? Porque é característica dos jovens tentar coisas que são diferentes, ou até mesmo, contrárias à velha ordem. Se avançar sempre com juventude, está constantemente a explorar novos caminhos e a encontrar frequentemente caminhos melhores." (pág. 143)
 
"O acto final que assinala a roptura das civilizações é a deflagração da discórdia interna, uma guerra civil entre fracções e reinos feudais." (pág. 144)
 
Nota: É o que me parece verificar-se em Portugal desde 74; há demasiada discórdia e pouco debate.

"A desintegração vertical da sociedade é observada no  desenvolvimento do aumento das classes." (pág. 145)

"O Presidente Mao enviou todos os trabalhadores do governo para trabalharem no campo durante um ano." (pág. 145)

"O objectivo de Mao e de Perot era eliminar a alienação de classes que leva à revolução." (pág. 146)

"E é o sistema na sua globalidade, com a sua falta de controlo e de balanços, com a falta de prémios ou castigos por servir ou destruir o bem social, que permite a fuga do criminoso Aristocrata que roubou os accionistas, empregados, clientes e o público em geral. Todas as revoluções sociais, a americana, a francesa e a russa resultaram do fracasso de tais sistemas."  (pág. 151)

"Será que Deus esqueceu o que fiz por ele?" (frase atribuída pelo autor a Luis XIV na pág. 151)

"A nossa classe social perigosa não se encontra no fundo mas no topo. A riqueza sem lei é mais perigosa que a pobreza sem lei." (frase atribuída pelo autor a Henry Ward Beecher, 1873)

"Durante os anos de declínio de cada civilização, o espírito da religião é pervertido. A grandeza dos ídolos, dos templos e dos estúdios de televisão torna-se mais importante do que a essência espiritual que eles são supostos servir." (pág. 155)

"O que se passa hoje nas empresas em todo o país é absurdo. É como um "Estado Previdência " empresarial. Sustentamos equipas de gestão que não produzem nada. Não, é ainda pior. Não só pagamos a esses parasitas para não produzirem como pagamos para lixarem o trabalho." (atribuído pelo autor a Carl Icahn, presidente da TWA, pág. 159)

"O coração dos negócios é produzir e vender, não a gestão financeira ou o planeamento estratégico." (pág. 162)

"O sistema de direção das empresas públicas está à beira de desmoronar, porque se tornou um sistema fechado, e todos os sistemas fechados padecem de isolamento por falta de retroação crítica." (pág. 169)

"O que parece claro em todos os estudos sobre a fusão e aquisição de negócios não integrados, é que estas operações raramente acrescentam valor." (pág. 171)

"A centelha da verdade advém do confronto de opiniões diversas." (atribuído ao profeta persa Baha U'LLah, pág. 173)

"As empresas experientes melhor geridas são sinérgicas. São um equilíbrio e mistura entre as características do Profeta, do Bárbaro, do Construtor, do Explorador e do Administrador. Mas, mais importante, o Sinergista é aquele que cria a unidade social."  (pág. 173)

"A empresa não precisa de gente como o senhor, que só utiliza a cabeça. Antes de conceber este modelo, porque não escutou a opinião das pessoas experientes da oficina? Se pensa que a formação universitária é suficiente, está completamente enganado. Não será de grande utilidade na Honda a não ser que passe mais tempo no local de acção nos próximos anos." (exemplo da filosofia da Honda, pág. 176)

"São exigentes com os resultados mas brandos com as pessoas" (pág. 176)

"A Honda está no negócio da construção de excelentes carros, e muitas outras empresas estão, antes de mais, no negócio de fazer dinheiro, só depois na construção de carros." (pág. 179)

"A flexibilidade e o desenvolvimento de competências alargadas são princípios centrais." (pág. 179)

"Existe pouca satisfação em atingir a média, quer a nível do desporto quer a nível do negócio. É a luta pelo melhor que cria o entusiasmo e o sacrifício, nada mais." (pág. 184)

"Terá de ser reconhecido que alguma desordem é sinal de crescimento e vitalidade." (pág. 185)

"Parece irónico que a satisfação e a segurança sejam inimigos da perfeição". (pág. 186)

"A rapidez de decidir e atuar prontamente leva à expansão e ao progresso. A acção determinada deve ser equilibrada por um planeamento deliberado." (pág. 187)

"A grande empresa, com grandes investimentos, tem a responsabilidade de pesar cuidadosamente as opções e as implicações das decisões importantes. Por outro lado, deve estar disposta a alterar ou mesmo a abandonar os planos de um dia para o outro." (pág. 188)

"As decisões de maior qualidade são atingidas pelo consenso. O consenso torna-se mais valioso quando representa a sabedoria coletiva dos participantes com ideias e experiências diversas." (pág. 189)

"O conhecimento e as competências especializadas devem ser procuradas vigorosamente. Uma vez obtidos, as competências devem ser integradas." (pág. 193)

"E à medida que a empresa se torna mais especializada, ninguém se dispõe a tomar a responsabilidade quando algo corre mal." (pág. 194)

"pode quase calcular-se uma correlação direta negativa entre o número de níveis de uma empresa e a motivação dos empregados." (pág. 195)

"As metáforas e a experiência cultural partilhada - desde as T-shirts de Michael Jackson nas aldeias do Tibete ao álbum Graceland de Paul Simon, que incorpora ritmos das tribos africanas - demonstram que a pulsação do mundo tende gradualmente para o mesmo batimento." (pág. 200)

Sem comentários:

Enviar um comentário