domingo, 11 de janeiro de 2015

Terrorismo na Europa

      Se os bárbaros atos que se verificaram recentemente em Paris merecem toda a nossa repulsa e oposição em nome da Liberdade e da comiseração cristã, não é menos verdade que estes mesmos valores devem suscitar o levantamento da população contra o projeto europeu em curso que os marginaliza, sobretudo a dos países ditos periféricos, em benefício das elites, contra os princípios consagrados na Declaração Universal dos Direitos do Homem, que, hipocritamente, ela própria adotou. É por isto que estou com Moita Flores, a quem envio um grande abraço, neste corajoso texto publicado hoje no Correio da manhã e que parcialmente transcrevo a seguir, com vénia e pedido de desculpa ao popular diário.
"Europa Terrorista:
"A quadrilha que vai liderar a manifestação de Paris prostituiu a Europa, mentiu nos sonhos, matou os projetos de Vida. Esta quadrilha quis emigrantes para a mão de obra escrava e desprezou o valor do trabalho. Desprezou o emprego. Desprezou a escola e a educação. Atirou para a fome e para a ruína milhões de desgraçados. Mas pior do que isto, a Europa cínica que hoje habitamos matou a Europa de Monet. Fez da União Europeia uma pantomima, aceitou de joelhos os ditames da Alemanha que fala por nós, contra nós, imperialismo da especulação que matou sonhos. Quem mata sonhos não pode esperar outra coisa a não ser a multiplicação da raiva, da indignação e, finalmente, do ódio. ... É esta a Europa cínica, e canalha, que aceitou o apelo de Hollande e vai fazer de conta que é amiga da liberdade de expressão."

Sem comentários:

Enviar um comentário