domingo, 22 de novembro de 2015

Está quase!, na próxima empatamos!

   Do tempo regulamentar do jogo dos 16 avos de final da Taça de Portugal, Sporting-Benfica, ganho pelo primeiro por 2-1, fiquei com duas certezas; A primeira é que Rui Vitória não está à altura das ambições do clube; não é capaz de "mexer" no jogo mesmo quando a sua equipa está a levar uma "coça"; em quatro meses foi incapaz de implementar um modelo de jogo e não tem capacidade de empolgamento, nem dos jogadores e nem dos adeptos. Essa qualidade que faz a diferença e que nos faltou ontem. A segunda é que os "astros" conjugaram-se para que este seja o ano do Sporting! Já o disse antes; os adeptos deste clube são imprescindíveis à solvabilidade do futebol nacional e esta é a forma de os atrair. Porém convém não esquecer que quando a manta é curta, ao tapar os pés destapa-se a cabeça e vice versa. E a manta é mesmo muito curta e demasiado esburacada.
   
   Jorge de Sousa fez a diferença e tal não me surpreendeu!, começou a desenhar-se cedo. O método não falha nem engana. No final, sim, tornou-se descarado com a não marcação da grande penalidade que poderia ter dado o empate aos encarnados, já com dez jogadores em campo devido à expulsão de Samaris que constituíu o "partir de pernas" da equipa. Slimani marcou o golo da vitória, mas não devia, visto que deveria ter sido expulso muito antes. Jorge Jesus mostra atributos que não revelou ou não lhe permitiram implementar no Benfica; dar pancada nos jogadores mais influentes do adversário; Gaitan, Júlio César e Luisão!, pelo menos dois deles tiverem de recorrer a assistência hospitalar!  
   Há uma ou mais "cabeças" dentro ou fora das superestruturas do futebol, que decidem as classificações. Com a "falência" da Justiça o futebol nacional tem os dias contados.

Filipe Vieira!, com punhos de renda seremos enxovalhados dentro e fora do campo sem dó nem piedade! O exemplo vem de cima! 

Sem comentários:

Enviar um comentário