domingo, 6 de dezembro de 2015

Benfica-Académica (3-0)

  Não foi um jogo fácil, até porque os "estudantes" se apresentaram bem organizados e concentrados, com Paciência e Ivanildo a provocarem sérias dores de cabeça aos encarnados, apesar de não terem criado uma única situação de golo clara.
 
   Pareceu-me que as novidades da equipa encarnada a tornaram mais homogénea e perigosa; Lisandro consolida a sua posição ao lado de Jardel, Renato preenche bem os espaços a meio campo, faz boa distribuição de jogo e é um perigo para as balizas adversárias, Pizzi parece feliz na direita donde lança vistosos slaloms em direção à baliza contrária. Renato ameaça restaurar uma velha tradição benfiquista, a recordar; a marcação de golos do meio da rua!, e nem é preciso lembrar Eusébio, Coluna ou Néné;, basta-nos recordar Carlos Manuel, Diamantino, Valdo e muitos outros!
 
   Posto isto, a equipa ainda não consegue sincronização satisfatória, donde resulta previsibilidade e falhas de passe, como se verificou, sobretudo, o derradeiro.
 
   Julgo que é necessária maior disciplina defensiva, em especial nas laterais e maior amplitude ofensiva, com mais dinamização das alas, como pedem o tipo de pontas de lança que temos, com Jonas à cabeça. Saiam de lá os cruzamentos executados a preceito, da esquerda ou da direita, que os golinhos logo aparecem.
 
   Fiquei estupefacto por terem sido assinaladas duas grandes penalidades a favor do Benfica, apesar de justas!, julguei que, estas, tinham sido abolidas do regulamento informal!, mas, depois de ler o "Minha Chama" acabei por perceber; se os mais diretos rivais já tinham as vitórias garantidas e o Benfica já está a oito pontos do primeiro lugar, porque não assinalar -lhes uns penaltizinhos de vez em quando, para desfazer a ideia já estabelecida de que o campeão foi decidido antes de o campeonato começar? Ainda assim, ficou outro por assinalar!
 
  Nota positiva; é o segundo jogo consecutivo em que nenhum jogador do Benfica vai parar ao hospital! Uau!

Sem comentários:

Enviar um comentário