segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Do Portugal Profundo: O Governo do MES

"Uns e outros, retomam a política estatista, de desprezo do trabalho, inimiga da criação de riqueza, e promotora do ócio. E regressam à política relativista de perseguição da família e dos valores, sagradose profanos, entranhados no povo, e das instituições que os promovem, como a Igreja e as instituições da sociedade civil. Enquanto erguem uma megamesquita em Lisboa, derrubam os pilares de sustentação da sociedade portuguesa.

Este (des)Governo durará o tempo que cada componente desta coligação instável quiser e o dinheiro permitir. Mas, entretanto, ferrosos e socratinos (um dos advogados de Sócrates, Miguel Prata Roque, foi colocado novértice de Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros), os socialistas tentarão limpar rapidamente a justiça dos magistrados incorruptíveis, com destaque para o juiz Carlos Alexandre, e dos procuradores implacáveis." (Do Portugal Profundo, António albino Caldeira)

(Tela de Ticiano, renascentista veneziano)


Do Portugal Profundo: O Governo do MES: Mural do MES. Unidade do povo contra o fascismo, pelo poder popular . 1975. Na noite de 24 de Novembro de 1975 , enquanto os militan...

Sem comentários:

Enviar um comentário