quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Notas saltitantes

   A exibição do Benfica contra o Marítimo mostrou uma nova dinâmica ofensiva, em muito, devido ao contributo de Carcela que acrescenta criatividade, profundidade, e precisão nos cruzamentos e assistências, aumentando o grau de incerteza na defensiva adversária, criando espaços para a entrada dos colegas ou induzindo o adversário a cometer faltas fatais. 

   Carcela, Jonas e Jimenez, entenderam-se muito bem, faltando apenas mais concentração a este último nos dois lances em que tinha só o GR pela frente. Contudo, falharam-se muitos passes e, na primeira meia hora, cometeram-se erros defensivos que poderiam ter mudado a história do jogo.
 
   Não é necessário andar aos gritos por tudo e por nada nem violentar a autoestima, mas, atletas e adeptos, têm que ver um líder no seu Treinador. Nesta matéria, RV não tem sido eficaz apesar dos bons sinais no lançamento deste jogo.
 
   Jorge Jesus, ainda embevecido com os êxitos que conseguiu nos dois últimos anos no Benfica e os recentes "sucessos" no Sporting, não pára de dizer patetices; já se esqueceu que seria hoje um treinador de meia-tigela se o Presidente do Benfica não tivesse dado o corpo às balas apoiando-o. Revela ingratidão para quem o levantou do chão. Nem sequer se apercebe das baboseiras que profere; por que carga de água se incomoda a fazer sair da "toca" alguém a quem não reconhece estatuto de treinador? Gaba-se de ter ganho três jogos aos encarnados esta época fingindo ignorar que a sua equipa beneficiou da fase de transição técnico-tática daqueles e de ajudas suplementares. Fica sabendo que não voltará a consegui-lo esta época. 
 
   Vai uma grande barafunda pela invicta relacionada com o tráfico de droga e a segurança ilegal. Oxalá, desta vez, a Justiça não se deixe subverter por infiltrados  e cumplicidades e faça o que lhe compete; julgar e condenar os culpados dos crimes em causa. É que, nós, simples cidadãos, sem conhecermos os casos em concreto, percebemos-lhes os contornos desde há décadas. Quem se atreve a não beneficiar um clube que tem ligações, ainda que informais, a uma rede de malfeitores que, impunemente, espalha o terror pelo país, ameaçando, agredindo e, segundo consta, matando pessoas?  Como se compagina isto com a democracia moderna? É a credibilidade do Estado que está, mais uma vez, em causa, pois parece que a Justiça não é geral e universal.
 
   O Novo Banco, que despede e arruína milhares de pessoas, tem uma "bota" para descalçar; vai ser interessante ver a solução que vai adotar quanto aos 55 ME do empréstimo ao Sporting, que vencem no próximo dia 27!, como se trata de obrigações convertíveis, e, naturalmente, não estão interessados em envolver-se na gestão do clube, palpita-me que irão anuir às pretensões de Bruno de Carvalho. Naturalmente, contarão com a benevolência dos comentadores, grande parte deles, afetos ao "universo" verde. Depois do "escândalo" político no caso da redução das taxas da Câmara de Lisboa relativamente ao museu Cosme Damião, imagino o foguetório que seria se o caso fosse com o Benfica! Obrigações convertíveis, com juros condicionados à distribuição de dividendos? Com o banco envolvido em situação crítica e os portugueses com o credo na boca? É demasiado óbvio! E escandaloso! Tenham vergonha!
 
Foto de José Manuel Antunes em A Bola http://www.abola.pt/clubes/ver.aspx?t=3&id=591283

1 comentário:

  1. A solução vai ser simples, mais um perdão ao sporting e o zé povinho que pague!

    Estão em alta e nem mesmo a comunicação social tem interesse em fazer-lhes frente.

    A questão para mim é como um borra botas, um fora da lei como é Bruno Carvalho, cujo passado que se divide entre fecho de empresas e negócios de droga, tem este poder todo, sem que ninguém o questione ou coloque em causa.

    Este país está podre!

    http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT79624

    JB

    ResponderEliminar