quarta-feira, 2 de março de 2016

Notas soltas

  
   A "ferros" foi a vitória sobre o União da Madeira. Esperava uma goleada. O estimado Norton de Matos também, por isso montou um sistema ultradefensivo. O costume, salvo honrosas exceções, para mal do futebol nacional. Todos num molhinho, muito chegadinhos à área, muita intensidade, muita entreajuda, à espera dum percalço da equipa adversária para o contra-ataque. Um espetáculo deprimente e recorrente, que afasta gente dos estádios, a exigir a definição de critérios de autonomia financeira muito mais apertados de acesso  dos clubes ao futebol profissional.

   Voltando ao jogo foi mais um caso de "tiro ao boneco" com os encarnados, após o fantástico golo do "pistolas", a tentar furar, teimosamente, uma indestrutível floresta de pernas, à procura do golo da tranquilidade, mas revelando incapacidade de explorar as alas, falta de criatividade no meio-campo, falta de precisão nos passes e cruzamentos, quase ausência de meia-distância e de jogo aéreo ofensivo. Enfim, uma saída de Júlio César à campeão impediu o golo do empate, ainda na primeira parte. Seria o cabo dos trabalhos! Estávamos a perder o meio-campo, a falta de Renato fazia-se sentir; Rui Vitória não se mexia e temi o pior. Finalmente decidiu-se e acertou; Sálvio à direita, Gaitan à esquerda, Pizzi no meio e sacrifica Talisca que não conseguia consolidar o meio-campo nem fazer uso do seu forte pé esquerdo. Tudo mudou; o bloco unionista começou a abrir brechas e o segundo golo surgiu num excelente remate de primeira de Mitroglou  desviado por Jonas, por instinto, para o fundo das redes. Seguiu-se a gestão do resultado, com os madeirenses a nunca se darem por vencidos, o que os enaltece.

   Gostei do Grimaldi; tem escola, talento, raça e velocidade. Nelson também me pareceu bem, embora, tenha deixado algumas vezes a sua zona desguarnecida. Lindeloff teve pouco trabalho mas inspira confiança. Gaitan esteve melhor na esquerda. Sálvio já mexe e Talisca necessita de motivação. 

   O árbitro cometeu alguns erros, atrapalhou os jogadores algumas vezes pisando zonas inapropriadas, mas nada de grave há a apontar. 
      Da gala gostei do grito do José Augusto e da homenagem aos "magriços" do Sporting. Há adversários que merecem respeito. Gosto que o Benfica respeite os seus adversários.
   Pinto da Costa foi multado em €153,00, por ter ameaçado um árbitro e sua família, segundo noticiou a imprensa, infringindo uma norma regulamentar cuja pena consiste na descida de divisão do respetivo clube. Não está mal. Já é alguma coisa. O Benfica foi multado em cerca de €14000,00 na sequência do jogo com o Paços, por um seu adepto, numa pausa do jogo, ter resolvido engraxar as botas do seu ídolo Mitroglou. O perigoso delinquente foi apresentado às autoridades e ficou com termo de identidade e residência. Olhem se tivesse dito ao árbitro que lhe fazia a folha? Já o vice Rui Gomes da Silva, levou 11 meses de suspensão por ter dito que Pedro Proença quis marcar um fora de jogo; por acaso um "erro" que deu o título ao Porto. Por outro lado, o insulto indecoroso de Bruno de Carvalho a um árbitro, foi desvalorizado devido às circunstâncias de grande tensão do momento.  E é este um dos grandes problemas do futebol nacional; falta de qualidade das instituições.
   A equipa B perdeu com o Desportivo de Chaves graças à "falta de vista" do Sr Mota, que invalidou um golo limpo aos encarnados e, mesmo ao cair do pano, perdoou um penalti aos trasmontanos. É preciso levantar a voz; estão a fazer a cama aos rapazes.
   Parece que a equipa de hóquei encarnada levou uma "coça" em Barcelos. Nicolia "abriu água", chegaram a jogar com dois jogadores de campo e o autocarro foi danificado. Voltou a velha fórmula; à falta de argumentos desportivos usam-se os bélicos.  Mas não ganharam. Parece que partir a cabeça dos adversários não chega.
   Ah!, e Bruno de Carvalho e seus correligionários não se queixam do penalti não assinalado ao Guimarães por falta sobre o nosso Vitor Andrade. Esta contabilidade está muito fatela.
   Parece que o Benfica contratou um novo atleta para o andebol. Vamos a ver se a equipa sobe o degrau que lhe falta. Falta-lhe um guarda-redes cubano.
   Agora venha lá o "Jasus" mais os cinco cérberos verdes. 

Sem comentários:

Enviar um comentário