domingo, 1 de maio de 2016

Menos uma final

 
The Harem Aka Parisian Women Dresses As Algerians, Pierre Auguste Renoir
 
 
   Foi a ferros, mas foi justa. Sérgio Conceição levou para a Luz o tipo de futebol muito em uso por cá, em especial em um dos clubes que representou, o Porto. Explorou a previsível ansiedade da equipa encarnada abusando da agressividade e do antijogo ostensivo, provocatório, enervante, em detrimento do bom futebol que a sua equipa pratica...quando quer! Isso mesmo! Sérgio Conceição, com a falta de cultura desportiva que o caracteriza, preferiu apostar na interrupção frequente do jogo, recorrendo a esquemas circenses, do que explanar as qualidades desportivas que a sua equipa demonstrou possuir logo que se viu em desvantagem. Uma vergonha!
 
   A equipa do Benfica revelou ansiedade e falta de frescura física e mental de alguns jogadores, que se refletiram em fraco dinamismo, má qualidade de passe e falta de criatividade. Excetuou-se o lance do golo, graças à magnífica atuação da dupla Gaitan-Jardel, que já no jogo com o Rio Ave deu bons frutos, mais duas ou três situações, especialmente após as entradas de Sálvio, Jimenez - que pena aquela bola na trave, mas a "letra" era desnecessária (a equipa primeiro) -, e Samaris. Pizzi está fora de forma, tal como Renato - falharam inúmeros passes -, e Gaitan não pode fazer tudo. Sem eles, os pontas de lança não funcionam, como se viu. André Almeida foi providencial mas devia ter despachado a bola pela linha final, logo no primeiro corte. Jardel precipitou-se no lance precedente; tinha vantagem no controlo da bola, dava mais um passo e enviava-a pela linha lateral. Fantásticos, Ederson, Jardel, Fejsa e Gaitan. Carcela, Guedes Samaris, Jimenez e, talvez Luisão, podem ser importantes nesta ponta final. Os bons jogadores esgotados não funcionam. Enfim, vieram os três pontos, que era o mais importante.
 
   Bruno Paixão, felizmente, penalizou o jogo violento, mas não puniu as simulações grosseiras, permitindo prolongadas interrupções do jogo sem justificação, como era do interesse do Vitória de Guimarães.
 
   P.S. Consolida-se a ideia que vem correndo de que há algo espúrio nos bastidores que pode estar a desvirtuar e descredibilizar quer o campeonato quer as instituições desportivas e públicas. Se, tal como disse o Fanha, o incentivos às equipas dos concorrentes diretos são irregulares e puníveis, é tempo de averiguação por quem de direito. Constou-me quem sabe ver um jogo de futebol, que o Porto ofereceu o jogo ao Sporting!, não me surpreende, mas esperava que aquele clube procurasse salvar alguma da dignidade que lhe restava. Em outra frente, a comunicação social  continua a terçar armas pelos de alvalade; ele é o anúncio do julgamento dos dirigentes do Porto, ele é a dívida do Benfica e as empresas de Filipe Vieira ao Novo Banco, eles são os feitos do treinador do mundo, da Via Láctea e da Andrómeda e arredores...etc.
 
   Força Benfica!

Sem comentários:

Enviar um comentário