domingo, 5 de junho de 2016

The star

   
 
The Star, Edgar Degas

 
   Continua o "fogo de artifício" mediático em torno do Sporting Clube de Portugal, apesar da exiguidade de títulos que este clube conquistou na época transata. Dirigentes, Diretores,  Treinador e outros agentes deste clube,  "apadrinhados" por  diligentes comentadores, pateticamente, insistem no discurso das vitórias morais, em declarações de guerra aos "inimigos", no anúncio de vitórias futuras em tudo e mais alguma coisa, recorrendo ao insulto soez, destilando ódio e menosprezo pelos adversários. A ânsia de vitória e a frustração da derrota impede-os de perceber que a sobranceria constitui o caminho mais fácil para o insucesso; um estilo que julgávamos em fim de ciclo  face ao eminente abandono de Pinto da Costa.
 
   É constrangedor e preocupante assistir à passividade e ao alinhamento de figuras públicas tidas por idóneas e ponderadas, às baboseiras belicistas, insultuosas, desestabilizadoras e manipuladoras de tal gente. Responder com indiferença, porém, será fatal. Senão vejamos; o segundo lugar no campeonato foi conseguido graças a sucessivos erros grosseiros de arbitragem de que beneficiaram, ao consentimento da prática reiterada de jogo violento que lhe permitiram, a proteção institucional a nível disciplinar que lhe foi proporcionada e ao escandaloso "jogo amigo" que os adversários das últimas jornadas lhe dispensaram. O caso Slimani, que deveria ter suscitado punição imediata e exemplar deste pseudo-jogador,  terminou, como era previsível, com um pífio e inútil jogo de castigo, depois da época finda, constituindo um insulto implícito dos órgãos federativos responsáveis, a Samaris, ao Benfica e seus adeptos e uma demonstração de incompetência e, ou, nepotismo. O acórdão de condenação de Pereira Cristóvão no caso Cardinal iliba o SCP apesar daquele ser titular de cargo dirigente à data da prática do crime. Entretanto as instituições tutelares do futebol  não se pronunciam sobre este caso provavelmente esperando que caia no esquecimento. Na audiência preliminar do diferendo entre o Benfica e Jorge Jesus, segundo a imprensa de hoje, a juíza deu uma "coça" aos juristas do clube encarnado pela fragilidade das provas apresentadas.  Os investigadores da PJ que investigaram o incêndio do estádio da Luz, arquivaram o processo por impossibilidade de identificação dos respetivos autores. Um dos principais financiadores daquela clube, à data, suspeito de práticas económicas ilícitas pelo Ministério Público, viu as suas contas desbloqueadas graças à decisão de um ex-candidato à presidência do Benfica. Finalmente, dois bancos capitalizados com garantia estatal, um deles com prejuízos superiores a 800 ME em 2015, outro travando desde há anos uma intensa batalha de reestruturação em busca do frágil equilíbrio de exploração, resolvem "doar", salvo o erro, 127 ME ao clube verde-branco, tendo sido anunciado há semanas pela imprensa mais 80 ME para 201, afinal. 
 
   Enquanto Benfica e Porto têm encargos financeiros anuais da ordem dos 20 ME cada, o SCP, tem, apenas...2,2 ME!!! Benfica e Porto, por interpostas entidades, estão pagar os custos de financiamento do Sporting!!! Onde é que aquela gente suporta a sua alegada "superioridade" moral? Porque carga de água os acionistas dos bancos em causa permitem decisões ruinosas das suas administrações? O que é que se passa aqui, afinal? Donde vem toda esta influência? Quem quer impor o Sporting campeão ao país? Quem quer banana trepa!, façam-se à vida e trabalhem honestamente para serem melhores que os adversários. Assim é que é! E todos aplaudiremos.
 
   Tudo isto leva-nos a perceber que há forças poderosas por detrás da atual Direção do Sporting, que ainda não "saíram da toca". Suspeitamos, apesar da bizarria, que Bruno de Carvalho deve ter relações privilegiadas ao mais alto nível político e institucional, dados os seus ascendentes familiares colaterais. Sabemos que o SCP beneficia de acessoria jurídica dum histórico e poderoso gabinete de advogados e dum ex-bastonário Ordem.  Sabemos que tem o apoio de um ex-Presidente da República de Portugal que foi decisivo para a construção do seu estádio. Sabemos que os proprietários do Correio da Manhã e do Record têm histórico vínculo afetivo ao SCP. Sabemos que o Presidente da Liga dos Bombeiros, ex-presidente de câmara, é também Presidente da Assembleia Geral da SAD verde-branca. Sabemos que, na segunda divisão, houveram, na época finda, jogos fraudulentos, o que leva muito boa gente, incluindo eu,  a supor, face a estranhas ocorrências, que tal tenha acontecido igualmente na primeira divisão. 
 
   Enfim, apesar das, surpreendentemente, boas notícias relacionadas com o projeto do novo mandato de Fernando Gomes - combate à corrupção, introdução das novas tecnologias e controlo das transferências de jogadores -   o futebol nacional caminhará para o irreversível descrédito se não forem afastados os "chicos-espertos", os corruptos, o  financiamento ilícito e os caceteiros.
 
   Os dados estão lançados, mas nem todos são visíveis. Convém estar atento.

À viva, Benfica!

Sem comentários:

Enviar um comentário