quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Benfica-Dinamo de Kiev

 


   Exibição sóbria e suficiente do Benfica conquistando os três preciosos pontos e reforçando a sua candidatura à passagem aos oitavos de final.

Matreiros e medrosos, os ucranianos formaram um bloco recuadíssimo, em 4141, esperando um Benfica mais afoito e descuidado permitindo os seus contragolpes a partir das alas. Que me lembre, fora o penalti, os ucranianos não criaram grande perigo para a baliza de Ederson.
 
Os encarnados mostraram-se seguros na manobra defensiva mas incompreensivelmente  ingénuos no ataque ao insistirem nas diagonais interiores em direção à floresta de pernas que os aguardava. O caso é que não dispunham de espaços para evoluir, restando-lhes recorrer às transições rápidas, aos lances de bolas parada, à meia distância e ao jogo aéreo. Foi um canto que proporcionou o penalti devido ao muito respeito que Luisão continua a infundir aos adversários, nestes lances. Na segunda parte, o Benfica, atacou mais pelas alas e o perigo rondou a baliza dos ucranianos por várias vezes. Mitroglou poderia ter marcado em três excelentes contra ataques, deixando a ideia de estar algo cansado. Cervi e Sálvio fizeram "miséria" pelas laterais e foram bravíssimos no apoio defensivo "cortando" variadíssimos lances ofensivos ao adversário. Já o jogo aéreo ofensivo foi quase nulo, mas a meia distância...valeu o bilhete do jogo! Gonçalo Guedes, em posição frontal, na sequência de um movimento vertical, arranca poderosíssimo remate que parecia capaz de arrancar a trave! Fantástico! Devia valer meio-golo! Estes lances são o fascínio, a alma, do futebol; o resto é atletismo! A certa altura pareceu-me que o meio campo encarnado estava um pouco "macio" apesar da excelente exibição de Pizzi; talvez tenha sido essa a justificação para a entrada de André Almeida e a saída de Gonçalo Guedes.
 
Julgo que o penalti contra os encarnados foi algo forçado, mas aceita-se; Ederson descuidou-se um pouco na saída, mas emendou com uma grande defesa. Aqui chegados, gostava de saber como fez; se escolheu o lado previamente ou percebeu a direção da bola pela observação do avançado.
 
Jimenez jogou pouco tempo mas deu boas indicações. Bem precisa, a equipa. Nem sempre as coisas correm bem a Mitroglou.
 
Dramática foi a lesão de Fejsa na sequência de entrada "assassina" de um adversário. Já vi tanta coisa no futebol que me pergunto se não terá sido encomendado. É que o caso do Rodrigo ainda está fresco na minha memória.
 
Venha o dragão!
 
PS1: A equipa de basquete do Benfica acabou de vencer a do Bruxelas, na Bélgica, exibindo-se a bom nível, com Carlos Morais a dar "cartas", num jogo fluido e eficaz.
 
PS2: Rui Silva, a última estrala de atletismo do Sporting, ingressou nos quadro do Benfica, com a dupla missão de atleta e técnico. Oxalá tenha sorte. Força!

Sem comentários:

Enviar um comentário