segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Empate com borbulhas!

  
 
  
Consta que o Porto foi superior em quase todo o jogo e que foram as estratégias dos Treinadores a ditar o resultado final; um empate com sabor a vitória para o Benfica e com travo a derrota para o Porto. Este, num processo aparente de recuperação competitiva na sequência de alguns resultados menos maus, em especial na Liga dos Campeões, "obrigado a vencer" para convencer; aquele, numa sequência invulgar de vitórias, confortavelmente instalado na sua correspondente vantagem pontual.
 
   Competia ao Porto fazer as "despesas" do jogo. E fez; mas não conseguiu "matar" o jogo, porque receou o Benfica. E tinha razão; ao cair do pano, ao já célebre minuto 92, os "diabos vermelhos", num lance brilhante, marcado pela serena determinação e o talento de André Horta - o jogador-adepto - e  de Lisandro Lopez - o substituto do Capitão -, os encarnados estabeleceram o empate, para desespero de Casilhas e seus companheiros.
 
   O centro de Horta ilustra uma das formas mais eficazes de bater as defesas sobrepovoadas na zona da área; trajetória alta, força q.b., precisão milimétrica e um cabeceador a preceito. O destino da bola é só um e é traçado pelo lançador; o fundo das redes adversárias. E assim foi; a bola, sorriu para Casilhas e foi à sua vida.
 
   A equipa do Benfica, fustigada por intermináveis lesões, apresentando-se com duas baixas de peso - Grimaldo e Fejsa -, jogou um futebol conservador, que lhe ia saindo caro. Sendo possível fazer diferente, nunca saberemos se tal traria melhor resultado.
 
   Algo surpreendentemente, consta que Artur Soares Dias, adepto portista, fez um bom trabalho. Aleluia! Esperemos que seja um exemplo dos novos tempos do futebol nacional.
 
   Com este resultado o Porto continua na corrida e o Benfica mantém o élan.
 
   Nas modalidades; vitória do Benfica no basquete, no hóquei em patins - em jogo internacional -, no voleibol e no andebol. Empate no futsal em casa com a equipa do Braga, que me parece ter merecido o resultado. Empate da equipa B de futebol deixando escapar, aparentemente por razões táticas, uma vitória que parecia certa, para um adversário que o mereceu. Enfim; mérito aos adversários e mais e melhor trabalho na agenda dos encarnados.
 
  Noutra latitude, o Sporting voltou às vitórias com uma confortável vitória caseira sobre a instável - esta época - equipa do Arouca. Relata a imprensa cenas graves, passadas após o final do jogo na zona dos balneários entre dirigentes dos clubes envolvidos. Esperemos que, desta vez, as autoridades desportivas sancionem exemplarmente os causadores dos graves distúrbios, evitando cair na tentação da relativização do caso, como aconteceu na época passada, inúmeras vezes, sobretudo, relativamente aos dirigentes sportinguistas. A ver vamos.
 
PS1: Parece que não há forma de os clubes se protegerem contra os incómodos causados por adeptos adversários que, numa demonstração de anti desportivismo, se empenham em desgastar os jogadores contrários, impedindo-os de repousar nas vésperas dos confrontos. Foi o que aconteceu à equipa do Benfica na noite que antecedeu o jogo. Evidentemente que as autoridades têm uma palavra a dizer; até porque a lei existe, é clara e é para cumprir.  
 
 PS2: Deplorável foi o comportamento da Sport TV por não se ter dignado a mostrar qualquer plano dos adeptos do Benfica durante o jogo; uma atitude incompreensível, na linha de processos de manipulação da opinião pública deploráveis, que, com o novo arranjo empresarial do grupo a que pertence e as experiências do passado, se esperava erradicado. Puro engano; há certa gente que teima em contaminar o desporto nacional. Para vergonha de todos nós.
 
Força Benfica!

Sem comentários:

Enviar um comentário