domingo, 2 de dezembro de 2012

SOLTAS



1.       “MISSÃO BENFICA”; é o título do livro que será apresentado em 4.12.12, escrito por Luis Miguel Pereira (jornalista) e editado pela Prime Books, que descreve os bastidores do exercício de Luis Filipe Vieira da Presidência do Benfica. Um livro benvindo, que mostrará as encruzilhadas e a determinação de quem abraçou o longo e difícil projeto da recuperação deste tão amado clube, demonstrando a injustiça de muitas críticas que lhe têm sido feitas por alguns adeptos.

“Em segundos, uma galopante dor assaltou-lhe a cabeça. Insuportável. Vieira levantou-se em silêncio, deixou a tribuna do Lerkendal Stadion e procurou a primeira casa de banho.”

“Ainda dentro da ambulância, trocou a indumentária, vestiu-se à civil e entrou no balneário sem levantar qualquer suspeita aos jogadores. Os atletas não sabiam que o presidente estava internado e muito menos que deixara o hospital para lhes falar. Finda a palestra, voltou a entrar para a ambulância, em direção à CUF para cumprir a fase final do internamento.”

“O silvo estridente do Apito Dourado ainda soava na cabeça de todos quando a residência de Luís Filipe Vieira, na margem sul do Tejo, sofreu um estranho e dramático assalto, em Janeiro de 2006. “Eu estava com a minha filha, sozinhas, quando eles chegaram. Ficámos trancadas num quarto enquanto eles vasculhavam a casa toda. Foi horrível, porque não sabíamos se nos iriam fazer mal. Só levaram telemóveis e documentos do escritório, espatifaram tudo no meio do chão, urinaram na casa toda…Ficou um cheiro horrível durante semanas. Não vieram para roubar, porque havia muito para roubar, foi só para intimidar. A melhor prova foi a frase que escreveram na parede; ‘Estivemos no teu ninho, se quiséssemos tínhamos feito mal à tua mulher e à tua filha’. Lembra Vanda Vieira. E o processo de intimidação prolongou-se por vários dias e várias noites.”

“Quem não estiver preparado, desgraça o clube em dois tempos.”(in, Correio Sport 01.12.12).

2.       CONTAS DO BENFICA: “ De acordo com fontes contactadas, os técnicos do Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia elogiaram a “qualidade e transparência” da informação prestada pelas águias. Além disso prescindiram de pedir ao Benfica a garantia bancária exigida às empresas cujas dívidas carecem de sustentabilidade.”(CM,  23.11.2012, desporto).

Esta declaração dos técnicos da “troika”, esclarece todas as dúvidas acerca da transparência das contas do Benfica e da sustentabilidade da sua dívida confirmando que, a razão pela qual Domingos Soares Oliveira entrou e se mantém no clube é a sua elevada competência profissional, único critério a ter em conta numa organização que aspira ao progresso.

3.       LIGA IBÉRICA: “A liga espanhola está centrada no Barcelona e no Real Madrid, por isso seria inteligente encontrar uma fórmula para a criação de uma Liga dos Estados Ibéricos”. Disse o antigo presidente do Barça, Joan Laporta, admitindo a hipótese, à Antena 1, de criar um campeonato onde jogassem os merengues, catalães, Benfica, FC Porto, e Sporting.” (CM, 24.11.2012, desporto).

Algo terá que ser feito no âmbito dos quadros competitivos no futebol europeu. O atual quadro conduzirá ao definhamento dos clubes dos pequenos países por falta de mercado que proporcione a receita necessária para fazer frente aos clubes dos restantes países europeus. Como é possível competir com clubes com orçamentos da ordem dos 500 ME quando em Portugal, os orçamentos máximos são da ordem dos 100 ME? Como é possível formar atletas portugueses de topo e mantê-los nas nossas equipas neste quadro? Quer a UE, quer a UEFA e a FIFA têm que rever todo o processo! Julgo que deverão ser constituídas uma ou duas ligas europeias de 12/16 clubes cada, onde todos jogam com todos e as receitas seriam distribuídas de modo mais equitativo, aumentando a competitividade geral, potenciando as receitas e contribuindo para a promoção da coesão europeia.

Salvaguardadas as questões políticas, uma Liga Ibérica poderá ser uma boa solução, ,  em especial, para os “grandes” de Portugal, que veriam aumentadas as suas receitas enquanto, por outro lado, haveria, aparentemente, menos possibilidade da manipulação de resultados que existe no campeonato português, segundo minha convicção, que o descredibiliza por completo.

4.       PREVISIBILIDADE: O futebol português continua a perder a pouca credibilidade pós-apito dourado, pela sua crónica previsibilidade, razão maior da falta de público nos estádios. “Sabia” que o Porto ganharia ao Braga no jogo para o campeonato e que perderia o jogo com o mesmo clube para a Taça de Portugal! Garantida a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões, a “exemplar estrutura”, à semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, “deixa cair” a Taça para um dos clubes “amigos”, concentrando o seu esforço competitivo na Liga dos Campeões e no Campeonato, enquanto cumpre a “obrigação” de retribuir ao dependente aliado um titulozinho, pelas supostas e preciosas facilidades que o têm ajudado a ganhar os campeonatos da vergonha. Este ano, a Taça é para o Braga, como antes foi para a Académica e para o Setúbal…a não ser que o Benfica se intrometa superando qualquer dos “sete magníficos.”

AB

Sem comentários:

Enviar um comentário