terça-feira, 16 de setembro de 2014

Benfica-Zenit (0-2)

Perdemos o jogo mas ganhámos a equipa e o público; pela atitude mental e qualidade técnico-tática que todos os jogadores demonstraram e que poderia até ter valido outro resultado. Mérito ao guarda-redes adversário e demérito do árbitro pela incoerência que demonstrou.
      Entendamo-nos; a equipa do Zenit apresentou um futebol de grande qualidade em todas as vertentes, física, tática e técnica, muito dinâmico e sincronizado, recuperando a posse da bola com grande eficácia e com entradas fulgurantes a rasgar a defesa encarnada, que rendeu um golo e uma expulsão e decidiu a contenda. A equipa do Benfica, ainda em "afinações" entrou desconcentrada, algo desconexa e lenta, reagiu  estupendamente à adversidade  do resultado e da inferioridade numérica fazendo os adversários suar as estopinhas, contrariamente aos meus receios de decaimento mental coletivo. Provavelmente os jogadores do Zenit baixaram a intensidade de jogo, mas também é verdade que, pelo menos na 2ª parte, se viram gregos com os encarnados. Que o diga o seu guarda-redes que a estes negou dois tentos, que seriam belos e merecidos. Que o diga o árbitro cuja atuação, sem surpresa, pendeu para os  "gaspromes". Fantástica a cabeçada do Luisão, o quase-túnel de Lima e slalom quase fatal de Enzo. Muito bem Paulo Lopes a mostrar que tem argumentos para a baliza do Benfica. Fantástico o público não regateando os aplausos que os jogadores mereceram.
   Uma coisa é certa; este Benfica tem larga margem de progressão. Já o Zénite me parece estar próximo do seu zénite. Cá calharás.

Sem comentários:

Enviar um comentário