domingo, 10 de abril de 2016

Caráter e talento

    
(Abel Manta)
 
   Já se esperavam grandes dificuldades no jogo com a Académica. Esta desgraçada cultura do pontinho de equipas que não têm capacidade competitiva por falta de condições financeiras, está a matar o futebol português. Apesar do exigente jogo com o Bayern, os jogadores do Benfica controlaram as emoções e o desgaste físico e, com talento, arrancaram preciosa vitória, virando o resultado já na ponta final do jogo. Eliseu, que está a jogar a um nível muito alto, teve azar ao aliviar para a frente da área em vez de a despachar pela linha lateral. Os dois golos são próprios de grandes jogadores; de elevada capacidade técnica e capazes de pô-la em prática em momentos de grande pressão.Quanto ao Capela, parece que andou por lá a fazer umas aselhices mostrando o que já sabemos; que, para alguns, compensa pressionar os árbitros.   
 
      Quanto ao desfecho do caso Slimani; foi usado contra o queixoso! Evidentemente. Desacredita o Concelho de Disciplina da FPF e a própria FPF. Se demoraram cinco minutos a tomar a decisão, porque demoraram tanto tempo com o assunto, alimentando a guerrilha que os dirigentes do Sporting movem às instituições desportivas e ao Benfica? O acórdão é uma anedota e mostra o poder discricionário dos seus "juízes". O futebol português não tem lei. Porque carga de água não não são punidos Otávio Machado e Augusto Inácio apesar do chorrilho de baboseiras que não se cansam de debitar? Gomes da Silva foi castigado com onze meses de suspensão por ter dito o óbvio; que o árbitro "Pedro Proença" não marcou fora de jogo porque não quis (no jogo Benfica-Porto que decidiu o campeonato em favor dos azuis com o golo em fora de jogo de Maicon). A razão é simples; porque há falta de isenção dos titulares dos cargos na justiça federativa como, afinal, tem sido norma desde há décadas. Lembremo-nos, por exemplo, do campeonato de Juniores que o Benfica ganhou no terreno e que lhe foi posteriormente negado na secretaria em favor do Sporting. Uma vergonha!
 
   A página "Pé em Riste" da secção "Sport" do CM de 9 de Abril, contém um pequeno artigo  com foto revelando grande cumplicidade entre uma tal Catarina Franco e um tal Sancho Freitas. Não viria mal ao mundo se não se desse o caso de a senhora ser Técnica de apoio jurídico na FPF e o senhor ser Acessor do Conselho de Administração da Sporting SAD! Se houver um pingo de vergonha da FPF, esta senhora é demitida imediatamente!
 
   Curioso é que, na noite da véspera da notícia do arquivamento do caso Slimani tive uma revelação; Zé Batata e João Pateta, encontraram-se na pastelaria "Os Idiotas" para o habitual mata-bicho:
   Zé Batata: - É pá, se nos castigam o mata-sete vamos perder o campeonato.
   João Pateta: - Ó Zé, o caso é grave; o gajo podia ter matado o lampião.
   ZB: F....e agora?
  JP:...Agora...bamos arrastar o caso enquanto boceses fazem o máximo barulho possível, até os gajos cometerem um erro...para não parecer muito mal. Se entretanto eles ficarem para trás...então castiga-se o homem e ficamos todos sastefeitos.
   ZB: Nisso não há problema temos uns gandulos do futebol talhados p'rá confusão e uma equipa de camones para nos ajudar a pôr fogo a isto.
   JP: Se a coisa correr mal e os gajos não cederem, viramos o feitiço contra o feiteceiro; anuncia-se a decisão no momento crítico do campeonato, eles ficam desorientados, perdem pontos e bocêses ganhem.
 
Enfim, só parodiando se pode encarar isto.
 
   Por outro lado têm acontecido umas bizarrias bem engraçadas: Na véspera, ou no dia, do jogo com o Sporting, o Treinador dos azuis não pôde preparar a sua equipa porque lhe cortaram a luz! Na véspera do jogo com o mesmo Sporting, alguns jogadores do Marítimo andaram à bulha no treino e foram castigados quatro titulares, apresentando-se os insulares em alvalade com a equipa desfalcada. Aposto que vai acontecer algo com o próximo adversário dos "aristocratas" da verdade desportiva, que não confiam no seu Treinador e têm medo do Benfica. Como é evidente.
 
   Pinto da Costa, desorientado, atirou a toalha ao chão e ficou finalmente a perceber que os adeptos são-no relativamente ao clube e não a ele próprio. A entronização dura o tempo das vitórias e estas estão mais difíceis; talvez por falta de fruta ou do controlo do financiamento dos concorrentes. Vai sair pela porta baixa, como merece. É a vida; quem com ferros mata...
 
Agora há que carregar as "baterias" para o próximo jogo ignorando as baboseiras dos adversários.
 
Força Benfica!
 

Sem comentários:

Enviar um comentário